segunda-feira, 12 de novembro de 2012

ClampDay R2 - Quais meus preferidos no universo Clamp?

3 comentários
Olá gente!

Sim, faz tempos que deixei o Otame um pouco de lado, mas eu precisava expressar meu carinho pelo Clamp de mais de um jeito nesse ClampDay R2. Sim, eu fiz uma postagem no meu outro blog, o Kono-ai-Setsu, sobre um capítulo de Miyuki-chan no País das Maravilhas, mas como eu tenho muitas obras que eu gosto do grupo, eu pensei em trazer algumas coisinhas para vocês aqui no meu blog mais... pessoal. (?)

Só que eu via muita gente falando sobre uma certa obra ou um assunto muito específico, e como eu sou fangirl de muitos mangás, eu pensei que deveria falar de mais de um na minha postagem. Pra isso, eu montei alguns "tops" para mostrar para vocês o meu gosto pessoal e ver o que vocês acham da minha opinião.

Que tal?

Se você não gostar de alguma coisa, quiser dar sua opinião, dar algum surtinho que nem eu possivelmente vou dar a seguir (realmente eu preciso mudar o estilo do Otame, ele era meio seco e polêmico demais.. XD), pode comentar a vontade! É pra isso que foi feito o ClampDay R2, falar com outros fãs sobre o maior número de obras possível desse lindo grupo cheio de obras fantásticas!

Vamos lá?

Músicas

Para começar, algo bem descontraído para você ler essa postagem ao som de obras do Clamp. Sim, encerramentos, aberturas e OST (Original Song Track) são algo que devem expressar a personalidade de uma obra e muitas vezes podem até ser mais marcante para o expectador do que o próprio anime (como Angel Beats e Occult Gakuen, para mim).

Eu separei devidamente os encerramentos e aberturas das séries por que eu realmente gosto de muitas músicas de obras do Clamp, então vamos olhar minhas escolhas?

#Encerramentos

3- The Starry Sky - HAL [Angelic Layer]

O encerramento de Angelic Layer tem uma batida marcante e um clima bem interessante para uma série que deveria ser ao estilo "Pokémon". E o clipe misterioso ao estilo Clamp para nos deixar curiosos pelo desenvolver da série é tudo de bom. (=D)

2- Loop - Maaya Sakamoto [Tsubasa Reservoir Chronicle]


Nada como uma música linda sobre um amor sobre um reencontro milagroso em meio há um mundo gigante e que não para de girar para nos fazer apaixonar novamente por um casal já velho conhecido dos fãs do Clamp. Maaya Sakamoto sempre brilhando junto com as senhoras do Clamp.

1- Groovy! - Hirose Kami [Card Captor Sakura]


Não importa se em japonês ou em português, Groovy sempre vai me fazer surtar e cantar com todas as minhas forças. Ela tem um clima leve e que combina perfeitamente com Sakura. (E o Kero pulando pela cidade é muito fofo!)

#Aberturas


3- Be my Angel - Atsuko Enomoto [Angelic Layer]


A abertura de Angelic Layer me faz ter aquela palpitação de querer viver um sonho de criança, uma magia de um jogo que seria totalmente plausível de exitir daqui há alguns anos. É muito interessante o modo como ela realmente mostra o jeito Clamp de criar histórias dentro de um universo tão "comum" como o de animes sobre jogos populares de bichinhos colecionáveis.

Poderia ser Pokémon, poderia ser Digimon, mas Angelic Layer com certeza leva esse gênero há outro nível, seja na história ou na música.

2- Platinum - Maaya Sakamoto [Card Captor Sakura]


Eu gosto muito de Catch You Catch Me, mas quando eu via a abertura brasileira com o clipe de Platinum, a única coisa que pensava era que eu precisava ver a série com essa música. Platinum traz um sentimento de amor crescente e aconchegante, exatamente do jeitinho que Sakura e Syaoran (para mim ele sempre será "Shoran") foram notando no decorrer da segunda parte da série.E sim, eu canto ela mais enlouquecidamente do que Groovy! (XD)

1- Yuzurenai Negai - Naomi Tamura [Magic Knight Rayearth]


Eu não vi o anime de Guerreiras Mágicas inteiro (e muito menos em português), mas essa abertura sempre foi sinônimo da série. Um mundo mágico, com guerreiros, magia, RPG, Mokona, as Lendárias Guerreiras Mágicas e muita aventura.

E essa versão de Kalafina e Elisa ficou épica!!

Extra - Synchronicity - Yui Makino [Tsubasa Tokyo Revelations]


Eu posso não ter visto muito Tsubasa, mas essa música sempre me faz pensar em Clamp. Tem o tom misterioso e depressivo que as garotas gostam de colocar em suas obras. O que acham?

#OST

3- Kimi ni Naru Aitsu - Aya Hisakawa [Card Captor Sakura]


Shoran, seu lindo!! Essa sempre vai ser sua música tema!! Esse jeitinho dele, o jeito como ele desenvolveu o sentimento. Esse episódio de Sakura sempre vai ser um dos melhores que vi. Parabéns para a Mad House, foi épico e lindo.

2- A Song of Storm and Fire - Yuki Kajiura [Tsubasa Reservoir Chronicle]


Yuki Kajiura é uma diva total. Ela faz esses temas cheios de tensão, sombrios, com esses vocais ao estilo ópera. Tsubasa, se você não tivesse uma animação meio porca, eu voltava a te ver agora!

1- Yoru no Uta - Junko Iwao [Card Captor Sakura]


Eu adoro Sakura, então não poderia faltar essa linda música da Tomoyo! Eu achava incrível escutar na versão brasileira a música original. É uma música muito bonitinha, e eu lembro do meu irmão tentando tirar ela de ouvido no teclado! (haha! XD)


Personagens



O que seriam das séries do Clamp sem seus personagens marcantes?! Sem eles protagonistas ou não, dê uma olhada em meus favoritos!

#Personagem Coadjuvantemente Masculino

Nossa, vou chorar pra sempre por ele. Seu lindo! É um cara tão legal. X-1999 não está entre as minhas séries favoritas, mas Sorata e Arashi estão sempre no meu coração!! (*o*)

Sério, por que meus personagens secundários favoritos sempre estão relacionados a amores lindos?! Ueda é um fofo!! Chobits tem casais legais e tal, mas Ueda é um anjinho de tão bondoso!

Viram? Meu top 3 masculino é só de fofos apaixonados. Touya tem seu Yukito, então é mais um cheio de amor pra dar (pro Yuki XD). Adoro o jeito protetor dele com a Sakura, o jeito que trata o Yukito, o ciumes com o Shoran. Touya, sou sua fangirl!!

#Personagem Coadjuvantemente Feminino

Sua linda, por que era tão tsundere com o Sorata?! Demorou tanto pra admitir tudo, aiai. X-1999 é muito malvado com seus personagens, sabia? (talvez por isso eu não goste tanto da série XD)

Como falei, meus personagens preferidos são sempre apaixonados. Sei lá se a Tomoyo prefere a Sakura ou o Touya, mas eu adoro ela desse jeito mesmo. (XD)

Sim, adoro A Chitose tanto em Chobits quanto em Kobato. É uma ótima sindica e mostra sempre um carinho maravilhoso com todos. E sim, adoro o jeito como ela sabe de todos os mistérios das histórias que ela participa. (XD)

#Protagonista Masculino

Hideki é um protagonista de uma comédia romântica ecchi, mas é um cara legal e que tenta não se aproveitar da Chii (apesar de ter tido que ligar ela tocando em um local tenso... XD). Ele é um cara legal, sempre vou achar ele bacana.

Fujimoto é um fofo. Não que eu conheça toda a história de Kobato (estou acompanhando a segunda fase do mangá), mas já o adoro demais! Deixe de ser tsundere e vá logo se declarar pra Kobato, seu bobo!

Shoraaaaannnnn!! (imitando voz da Mei Lin) Shoran sempre será meu favorito. PRA SEMPRE! Sou fangirl total. Ele é lindo, fofo, e tem um senso de justiça inacreditavelmente maravilhoso. E eu surtei com ele dando o ursinho pra Sakura! (*o*)

#Protagonista Feminino

Eu amo Sakura e amo a Sakura também. Ela é fofa, atrapalhada, assustada. Eu gosto desse estilo de protagonista do Clamp, vocês vão notar.

Que tal a Chii? Tem personagem mais fofa e inocente que ela? Eu adoro esse jeito dela, me encanta totalmente.

Só me encanta mais que a Chii a Kobato. Ela é menos inocente, mas é o dobro de atrapalhada. Sua fofa, eu te adoro!!

Mangás


Pelos meus tops anteriores já dá pra entender mais ou menos o meu gosto pessoal, não é? Que tal então ver a minha difícil missão de saber que obra do Clamp é a minha favorita?

#Obra
3- Chobits

Sim, Chobits, um mangá sobre uma robô jogada no lixo com um final meio estranho está no meu top. O clima de Chobits e os personagens influenciaram bastante na minha decisão.

2- Kobato

Talvez eu esteja sendo influenciada por estar lendo o mangá atualmente, mas eu gostei de ler uma obra do Clamp que tem um clima mais voltado para o romance. Sim, Kobato é cheio de comédia e trama de mistério, mas ainda assim o que nos faz prender é o romance, não?

1- Card Captor Sakura

Sakuraaaaaaaaa~~ Sim, é meu mangá querido, maravilhoso, que estou colecionando pela segunda vez. Ele é especial, é uma das minhas influências para ter virado uma otaku e fangirl de Clamp. Provavelmente sem Sakura eu não estaria fazendo esta postagem.



O que acharam da postagem? Eu tentei fazer o possível para mostrar o que acho do universo Clamp. Será que consegui mostrar adequadamente? Me ajudem e comentem!

E que tal passar na fanpage do ClampDay R2 e ler algumas outras postagens?

Até logo! o/

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Holy Avenger e o Público Otaku Brasileiro

9 comentários

Olá a todos. Faz um tempo, não?
Quem me acompanha no Twitter sabe que eu ando bastante ocupada com meu outro projeto, o Kono-ai-Setsu, e por isso acabei deixando o Otame parado por uns tempos, mas graças a uma notícia, acabei decidindo vir postar aqui minha indignação. Sim, indignação.


Há poucos dias recebi uma notícia por email  (por que assino o Chunan e o MdOM, por que senão eu nunca leria - Preguiçosa) no Chuva de Nanquim que Holy Avenger, o mangá brasileiro de mais sucesso (além dele, só tem também o Combo Rangers), iria ser relançado....de novo (leia a reportagem aqui).


Eu preciso fazer uma "apresentação" para HA? Não... Todos conhecem, pelo menos de nome (como eu).


Incrível como a minha primeira reação ao relançamento (pela 3ª vez) de Holy Avenger foi como a da Mara (mais de oito mil). O ponto positivo (para a minha pessoa) é que eu não cheguei a ler nada da série e que eu poderia comprar, mas dificilmente o farei, a menos que este chegue muito facilmente em minha cidade e eu esteja endinheirada (os dois pontos são pouco prováveis de acontecerem).
Mas por que estou indignada?


Em meu raciocínio, como pretendente a mangaká (pffff), é de que mais uma vez o país se estagna e se agarra nos "velhos clássicos". Os otakus brasileiros são assim. Não adianta mudar. É exatamente como a tirinha do Bouken Ni que finalizei para a Mazaki (leia aqui). Essa idolatria aos velhos ícones tem uma função simples: Trazer a nostalgia dos marmanjões a tona, lembrar que existiu um único mangá no Brasil que agradou esse público chato e complicado de agradar, e (a pior função) impedir novos veículos e títulos de ganharem sua chance. Sim, essa é a mais pura verdade.


Não adianta fazer birra nos comentários, a verdade é que o otaku brasileiro é chato. Eles não querem animes na TV por que irá ter uma dublagem (segundo eles, "entendedores") ruim, não querem mangás venham em "certas" editoras por que terá tradução que não os agrada, não querem mangás feitos por artistas consagrados e conhecidos do público geral (não otaku) por que irá "difamar" a imagem idolatrada que eles tem de mangá, mesmo que esse tenha uma saga inteira parodiando um mangá que todos (esses mesmos "entendedores") idolatram e que o grande público poderia (provavelmente) passar a conhecer a partir dessa referência. Imagina, se eu conheço pessoas que não gostam de certos fansubs por que a legenda tá "errada", ou por que não traz as séries que as agrada.
Poxa, tenham noção, otakinhos. Fansubs trabalham de graça, fazem as coisas pra ajudar VOCÊ, que mesquinhamente fala mal do trabalho deles. As empresas que traduzem os mangás, trazem mangás que as vezes nem conseguem pegar lucro. Sim, há uma falta de planejamento na maioria, mas isso não quer dizer que eles queiram fazer um trabalho porco, apenas estão trazendo na qualidade que pode "agradar" vocês (nunca irão agradar um público tão implicante e birrento), e que eles possam sobreviver, por que, afinal, os revoltadinhos que criticam são aqueles que começaram uma campanha bem estúpida de não comprar mangás de uma única editora, e que daqui a pouco podem acabar ajudando a fechar as portas de uma das editoras pioneiras a trazer (em grande quantidade) os mangás clássicos que o pessoalzinho adora reverenciar.


O mais engraçado, é que esse pessoal que fala mal das traduções dos mangás ou das obras brasileiras, não vai comprar a versão nova de Holy Avenger. Vai vibrar, dar gritinhos de felicidade, mas vai se preocupar mais em comprar os mangás que não gosta só pra criticar as editoras (pelo menos se eles comprarem vão dar lucro pras empresas) do que comprar HA. Infelizmente, duvido que esse relançamento chegar ao último volume. A realidade é que o público otaku não é tão atencioso e fiel quanto o público de comics, que tem uma infinidade de séries sendo lançadas no Brasil. Quem é que se arriscaria a trazer algo incerto de sucesso para um público tão birrento como o otaku? Me desculpem, não é falta de fé, nem praga, apenas o meu modo de enxergar o otaku brasileiro, que sempre (me desculpem) me desaponta.
Depois desse depoimento sincero até demais (e de perder os poucos otakus seguiam meu trabalho), vou deixar espaço para os comentários me xingarem.


E sim, essa é a minha visão sobre os otakus e muitos da blogosfera otaku. Eu posso gostar das pessoas que fazem esses blogs, mas não gosto de seu "trabalho" (se pelo menos eles fossem críticos profissionais eu não ficaria tão indignada). Não estou generalizando e nem pensando em alguém específico, mas sempre que eu leio um blog otaku, eu acabo ficando braba com alguma bobagem (ao meu ver) que falam.


Obrigado por lerem meu desabafo.


(Eu gostaria de ter montado um template novo pro Otame antes de voltar a atualiza-lo, mas acabei sendo levada pelo meu instinto "assassino". Sorry =P)